Cuidados que você deve ter com seu gato

Escolha do Veterinário: O primeiro passo após você ter escolhido o seu gatinho é escolher um bom veterinário. Procure conversar com pessoas que já tenham gatos e pergunte sobre bons veterinários na sua cidade. Normalmente é melhor optar por um veterinário que seja preventivo. É muito importante ter um bom médico veterinário pois sempre que seu gato precisar será a ele que você irá recorrer.

Vacinas: Quando se trata de vacinas, gatos são iguais a cachorros. No primeiro ano de vida do gatinho ele deve tomar, já à partir do segundo mês de vida, a primeira dose de vacina, a polivalente (dependendo da sua escolha com o veterinário a triplice, quadrupla ou quintupla). Desta mesma vacina ele repetirá mais uma dose no mese seguinte. E por último ele tomará uma dose da anti-rábica (a vacina contra raiva). Nos anos seguintes ele passa a tomar uma dose de cada uma apenas, como reforço. Para maiores informações entre em contato com o médico veterinário escolhido. Mas nunca esqueça: é muito importante que seu gato esteja vacinado, desta forma você evita doenças tanto para ele quanto para você e sua família.

Vermífugos: Consulte seu veterinário para saber sobre a importância da desverminação periódica de seu gatinho. É um outro método de evitar problemas de saúde para você e para ele.

Tratando de pulgas e carrapatos: Uma vez tendo tratado a infestação é fácil manter o controle de pulgas. Converse com seu veterinário sobre qual anti-pulgas usar, e qual o melhor método de aplicação. Em caso de infestação converse com o médico veterinário sobre como proceder. Para casos de infestação além de eliminar as pulgas do animal é importante eliminar as pulgas do ambiente também. Existem métodos eficases para tal, não utilize métodos alternativos que possam colocar em risco a vida de seu gatinho, converse com o criador e sempre com o seu veterinário.

Adaptação: O gato que convive com outros gatos é mais sociável. O "filho único" normalmente é possessivo com seu dono e sua casa. Quando é introduzido outro gato na casa do “filho único”, normalmente o mais antigo não faz uma recepção muito agradável ao novo habitante. Obviamente ele tem ciúmes de seu território e seu dono. É desde jovem que o filhote se adapta a novas situações. É necessário colocá-lo ao máximo em contato com a sociedade, com os outros animais da casa, fazê-lo descobrir o automóvel. Um gato insociável é muito mais tímido, evita encontros com estranhos e poderá mostrar-se agressivo quando se sentir acuado. Quando se tem um outro gato em casa é mais fácil a adaptação quando o gatinho novo é um filhote, mas de qualquer maneira, se o gato a ser introduzido tiver um bom temperamento, a adaptação será facil. Apresente os dois e em seguida faça carinho no(s) mais velho(s) para ele(s) não se sentir(em) ameaçado(s). E então se seu gato for muito genioso e reagir muito mal a este primeiro contato separe os dois mas coloque o mais novo em algum local onde ambos possam sentir o cheiro um do outro (mesmo que seja através das frestas de uma porta). Vá fazendo as apresentações aos poucos, nunca deixando de dar mais atenção para os mais velhos. Desta maneira eles começarão a se entender. Quando estiverem se dando mais ou menos bem deixe os dois soltos e permita que tenham contatos diretos, deixando em casos de brigas não muito sérias, que eles se entendam sem repreender nem um e nem o outro. Claro, se a briga for feia separe. No caso de cachorros pequenos é a mesma coisa, mas quando se tem cachorros grandes já muda tudo. Se o cachorro for muito agressivo com gatos nem tente ter um, mas se o cachorro for calmo é melhor que o gato já seja adulto, assim ele saberá se defender do cachorro. Mas faça a aproximação dos dois sempre com a sua supervisão e neste caso repreenda o cachorro caso ameace atacar. Em todos os casos é muito importante conversar com eles e explicar que você gostaria muito que eles fossem amigos. As vezes isso ajuda.

Alimentação: É muito importante a escolha da alimentação do seu gato. Os gatos são mais sensíveis que os cachorros para esses tipos de coisa. Portanto é importante dar uma ração de boa qualidade pois de nada adianta adquirir um gatinho e depois querer ter uma falsa economia dando rações de baixa qualidade, digo falsa economia pois comprovadamente rações de baixa qualidade podem causar problemas no sistema digestivo do seu gato, o que acarretará em muitos gastos com tratamento posteriormente. É aconselhado dar rações de qualidade Super Premium, de preferência, mantenha a alimentação sugerida pelo criador que lhe vendeu o gatinho, caso isso não seja possível procure por rações premium. Quando o gato é filhote normalmente ele come muito para na fase adulta diminuir um pouco a quantidade. Isso se deve ao alto metabolismo que o filhote tem na sua fase de crescimento, nesta fase ofereça a ele uma ração específica para filhotes e na fase adulta passe para as rações para gatos adultos, sendo que nas rações super premium existem rações específicas para cada necessidade do gato (para raças específicas, para gatos com intestino sensível, para gatos que vivem na rua, para gatos que vivem dentro de casa, etc.). Cada ração diz a quantidade necessãria para os gatos, dependendo do seu peso e idade. Deixe os potinhos de ração sempre cheios, para eles poderem comer a vontade. Gatas prenhas recebem alimentação diferenciada. Alguns petiscos podem ser oferecidos ao gato, existem petiscos para vender em pet shop, mas nunca permita que seu gato coma mais petiscos que a ração.

Água: Deixe um pote de água fresca sempre a disposição do seu gatinho. Dê preferência a água mineral ou fervida. E lembre-se de trocar a água e lavar o pote pelo menos uma vez ao dia é muito importante que seu animal tome bastante água. Faça o possível para estimular seu gatinho a tomar mais água.

Higiene: Utiliza-se para a higiene do gato uma liteira (uma caixa com areia especial para gatos). O filhote aprende a utilizar a bandeja sanitária muito rapidamente. Assim que chegar ao seu novo lar, deve-se mostrar a bandeja a ele. É necessário limpá-la diariamente, de preferência todas as vezes que o animal usá-la. Escolha um lugar afastado do lugar onde ele irá comer, de fácil acesso e que de preferência não seja passagem. Para eliminar odores existem produtos específicos vendidos em pet shop e areias de melhor qualidade, inclusive existem algumas com perfume ou sistema de eliminação de odores. Troque a areia pelo menos de 30 em 30 dias, lavando e desinfetando bem a bandeja e o local. É ideal que para cada 3 gatos tenha-se 1 caixa de areia, mas isto tudo depende de cada gato, pois tem gatos que exigem uma caixa de areia somente para si. Nunca utilize areia da praia ou de rua, elas podem trazer consequências em seu gatinho.

Escovação: Existem escovas e pentes especiais para gatos, sendo que a escova muitas vezes penteis superficialmente o pelo, podendo ainda assim embolar, o pente vai até a raiz. O ideal seria pentear todos os dias para que não caia pelos pela casa e nem de nó nos pelos do gato, assim você já está dando um pouco de carinho para seu gatinho. Caso não seja possível, penteie pelo menos duas vezes por semana para não criar bolas nos pelos pois estas só poderão ser retiradas com uma tosa completa da região. Penteie no sentido contrário aos pelos em toda a extensão do corpo, não esquecendo do rabo, do pescoço nem da barriga. Existem gatos com diferentes tipos de pelos, alguns perdem mais pelos, outros menos, alguns embaraçam facilmente, outros não. Com o tempo e a convivência você aprenderá a conhecer melhor seu gatinho.

Banho: Existem diversas recomendações sobre banhos para gatos, cada um faz a sua, mas durante o verão um banho a cada quinze dias e no resto do ano uma vez por mês são o comum para se dar em um gatinho.

Na pet shop: Quando o gato for tomar banho na veterinária ou pet shop tomar cuidado para escolher um bom pet shop, que seja limpo e onde eles tenham o cuidado de evitar contaminação de um animal para outro. Escolha um pet shop que utiliza uma toalha para cada casa e separe os animais doentes. Peça peça para ver o local do banho, desconfie caso não lhe permitam. Além disso, cuidado na hora de escolher para ter certeza da forma de tratamento que eles recebem na hora do banho. No caso de gatos medrosos ou que estranham muito sair de casa fique junto no primeiro banho, pelo menos assim ele terá um pouco mais de seguraça vendo que você está ali perto.

Em casa: Primeiramente penteie-o bem para evitar a formação de nós, coloque um pedacinho de algodão no ouvido para evitar a entrada de água e então lave-o com água morna do pescoço para baixo direto com o chuveirinho, ou numa bacia. Para lavar o rosto, umedeça a sua mão e passe no roso dele. Utilize, no corpo do gatinho, um shampoo para animais, existem diversas opções nas pet shops. Se desejar aplique um condicionador para gatos. O cuidado principal é de nunca deixar entrar água nas orelhas nem cair shampoo nos olhos. Seque bem seu gato com secador para evitar gripes e outras doenças, principalmente na pele. Apenas cuidando para não queimá-lo com um secador quente demais. Enquanto seca penteie seu gato para desembaraçar os pelos. Opte sempre por banhar seu gato em dias quentes.

Ouvidos: Limpe sempre com um algodão seco ou umedecido em álcool ou com remédio propício limpe a orelha do gatinho. sujidades em excesso podem significar problemas de infecção no canal auricular. Portanto leve seu gato imediatamente no médico veterinário.

Olhos: Para limpeza dos olhos umedeça um algodão ou uma gaze com soro fisiológico e limpe o olho direito e a narina do mesmo lado, troque a gaze ou algodão e limpe o olho esquerdo e a narina esquerda. No caso de secreções em excesso pergunte ao seu veterinário o que fazer mas, não esqueça que no caso dos gatos persas e de cara mais achatada é comum um pouco de secreção a mais.

Unhas: Quando elas se tornam muito longas, é necessário cortá-las, evitando assim que o gato arranhe pessoas ou danifique cortinas e móveis. Segure o gato, pode ser deitado em seu colo com a barriga para cima ou em pé na sua frente, pressione levemente a pata até as unhas aparecerem. Com o cortador, corte a parte branca, transparente, com muito cuidado para não atingir a área rosada que pode sangrar e doer. Para os gatos não arranharem móveis e cortinas é indicado oferecer-lhes um arranhador. Existem vários modelos que você poderá escolher em alguma pet shop.

Tosa: Ou corte em casa o excesso de pelo da bundinha do gato cuidando para não cortar as genitálias nem o saquinho dos machos ou mande fazer uma tosa higiênica na veterinária ou pet shop. Para evitar o calor do verão uma boa opção é pedir para tosarem seu gato em toda a extensão da barriga, assim ele poderá se refrescar mais. A tosa completa afeta um pouco o temperamento do gato, ele se sente um pouco mais acanhado com a situação.

Queda de pelo ou pelo sem brilho: Durante a troca de estação é comum o gato perder um pouco mais de pêlo. Mas se a queda é muito acentuada e vem se prolongando não há nada melhor que dar um reforço de vitaminas. Converse com o seu veterinário e verifique o melhor à fazer.

Brinquedos: Os gatos adoram brincar: há numerosos brinquedos disponíveis no comércio, mas uma bola, uma bolinha de papel exercerá igualmente bem a função. Um arranhador permitirá ao gato gastar suas garras sem estragar sua mobília. Mas atenção, nunca dê novelos de lã ou qualquer tipo de brinquedo que seu gato possa se machucar, engolir ou enforcar.

Banho de Sol: É importante para os gatos que vivem presos tomar banho de sol mas nunca em excesso. Pode ser por uma janela ou qualquer lugar que entre um pouco de luz solar. Deixe seu gato circular por algum local onde possa pegar ou não um pouco de sol. Mas nunca esqueça que gatos brancos e gatos mais claros não devem ficar expostos diretamente ao sol forte e no caso de tomarem mais sol devem utilizar um protetor solar específico, receitado pelo seu médico veterinário.

Gatos presos e gatos soltos: Quando se trata de deixar seu gato sair de casa ou ficar somente dentro de casa a maioria aconselha que ele seja deixado apenas dentro. Explico porque: primeiramente porque os gatos que ficam soltos pela rua podem ser envenenados, roubados, atropelados, judiados e além de tudo podem trazer pulgas da rua e doenças de outros animais sem tratamento. No caso de gatos presos em gaiolas eles não devem ficar mais de oito horas por dia presos. Mas tudo é uma questão de gato para gato, pois gatos que foram criados soltos por muitos anos é difícl mudar de hábitos, já um filhote é muito mais fácil de adaptar.

Plantas e remédios: preste bastante atenção nas dosagens de remédios e nos componentes dos remédios que você estará dando para seu gatinho. Assim como algumas plantas que nem imaginamos podem ser venenosas para eles, alguns remédios podem ser também fatais. Já aconteceram casos de pessoas darem remédios como o Paracetamol para seus gatinhos e terem problemas, assim como alguma planta venenosa dentro de casa. Muito cuidado. Informe-se bem antes e não confie em uma única palavra... farmacêuticos e veterinários desinformados já fizeram bobagens com gatos saidos de gatis para novos proprietários leigos, como dar dosagem extra de dipirona, gotas de paracetamol, passar iodo em locais onde o gato pode lamber,... fazendo os gatinhos sofrerem.. verifique sempre antes de dar. Se possivel sempre opte por remédios de uso específico para cães e gatos.

Lembre-se no caso de qualquer sintoma anormal em seu gato, como manchas na pele, diarréia, espirros, xixi fora da liteira, corra para o médico veterinário de seu gatinho para identificar o problema. Não espere!

Créditos: Aline Broda, proprietária do Gatil Mitzi. Nenhuma parte deste texto pode ser copiada sem a expressa autorização do autor e sem referências.


Criação de Sites - Artweb